Frases


"Todos temos coisas na vida que valem a pena ser contadas, escritas. Mesmo que não para publicar, escreva-as para a família."Ilko Minev



terça-feira, 18 de abril de 2017

Na Bienal do Livro do Ceará 2017




Começou na última sexta, 14, a Bienal do Livro do Ceará 2017. Novamente no Centro de Eventos, a Bienal esse ano não traz homenagem a nenhum escritor, o que achei no mínimo curioso. Com o tema, Cada pessoa: um livro; o mundo: a biblioteca, a Bienal busca uma identidade que abrace tudo e todos, e seguirá assim até o dia 23 de abril. O evento, contudo, continua o mais forte dedicado à literatura do estado. A lista de convidados é bem vasta, apesar de bem mal divulgada, exceto pelos autores mais badalados, como o português Valter Hugo Mãe.

Tenho ido com frequência à Bienal, ao contrário do que pensei que faria. Até agora, para mim, tem sido, sobretudo, uma Bienal de encontros e reencontros. Há muitas falhas bobas, que prejudicam a estrutura, a divulgação. E muita repetição. Como novidade, cito de cara a Bienal fora da Bienal – programação que há tempos não se via na Bienal – que consiste em levar alguns autores a visitar locais estratégicos da cidade, a fim de propiciar um debate diferente, focados em causas do povo, realidades verdadeiramente táteis.

Este ano, estou postando pequenos comentários durante o evento, no Facebook/Instagram (@deniakel). Em breve, farei aqui os tradicionais posts mais completos, mas um pouco diferentes de como os fiz nas últimas bienais. Ah, também estou fazendo textos breves sobre uma realidade bem particular que vejo na bienal, que compõe a série Crônicas da Bienal, publicada nas redes acima e também em meu outro blog, O provável do Improvável.

Um dos momentos mais memoráveis até agora foi o reencontro com o querido amigo Marcelino Freire, na mesa que dividiu com Valter Hugo Mãe. Mais detalhes nas postagens! Grande abraço e aproveitemos a Bienal!

Aproveito para trazer à tona as postagens referentes às edições anteriores da bienal, desde que comecei a fazer este tipo de registro:

2010 -

Bienal do Livro do Ceará 2010: minhas impressões (I- Introdução)
Bienal do Livro do Ceará 2010: minhas impressões (II- Emir Sader/Cordel)
Bienal do Livro do Ceará 2010: minhas impressões (III- Ziraldo)
Bienal do Livro do Ceará 2010: minhas impressões (IV- Moacir C. Lopes)
Bienal do Livro do Ceará 2010: minhas impressões (V- Pedro Bandeira)
Bienal do Livro do Ceará 2010: minhas impressões (VI- Maurício de Sousa)
Bienal do Livro do Ceará 2010: minhas impressões (VII- Marina Colasanti)
Bienal do Livro do Ceará 2010: minhas impressões (VIII- Conclusão)

2012 -

Bienal do Livro do Ceará 2012 (I - O evento)
Bienal do Livro do Ceará 2012 (II - Ignácio de Loyola Brandão)
Bienal do Livro do Ceará 2012 (III - Márcia Tiburi)

2014 -

Bienal do Livro do Ceará 2014 (I - O evento)
Bienal do Livro do Ceará 2014 (II - Mesa: Infância e Memórias)
Bienal do Livro do Ceará 2014 (III - Mesa: Biografar brasileiros)
Bienal do Livro do Ceará 2014 (IV - Mesa: Milton Hatoum no cinema) 
Bienal do Livro do Ceará 2014 (V - Mesa: Luiz Ruffato)
Bienal do Livro do Ceará 2014 (VI - Mesa: Literatura e loucura)
Bienal do Livro do Ceará 2014 (VII - A influência estética de Moreira Campos)
Bienal do Livro do Ceará 2014 (FINAL - Mesa: O conto nosso de cada dia)