Frases


"Todos temos coisas na vida que valem a pena ser contadas, escritas. Mesmo que não para publicar, escreva-as para a família."Ilko Minev



terça-feira, 29 de março de 2011

O poder do abraço



Olá amigos, gostaria de compartilhar o seguinte texto, que não sei bem onde obtive (provavelmente de anos atrás), mas achei-o aqui em casa, em meio a dezenas de papéis velhos, em uma faxina corriqueira. Queria tê-lo postado aqui há mais tempo, mas sempre o perdia novamente antes que pudesse fazê-lo! Dessa vez, porém, aí está:


O Abraço


O que faz, por exemplo, quando está com dor de cabeça? Ou quando está chateado? Será que existe algum remédio para aliviar a maioria dos problemas físicos e emocionais?


Pois é, durante muito tempo estivemos à procura de alguma coisa que nos rejuvenescesse,  que prolongasse o nosso bom humor, que nos protegesse contra as doenças, que curasse nossa depressão, que nos aliviasse de nosso estresse, que nos fizesse chegar próximo daquele com quem brigamos. Sim, alguma coisa que fortalecesse nossos laços conjugais e que inclusive nos ajudasse a adormecer tranquilos. Encontramos! O remédio havia sido descoberto e já estava à nossa disposição. E continua ao alcance de nossas mãos. O mais impressionante de tudo é que, ainda por cima, não custa nada. Aliás, custa sim, custa um pouco de vontade de perdoar.


É o ABRAÇO! O abraço é milagroso, é medicina realmente muito forte. O abraço como sinal de afetividade, de carinho e de perdão pode nos ajudar a viver mais tempo, proteger-nos contra doenças, curar a depressão e fortificar os laços conjugais e familiares. O abraço é excelente tônico! Hoje sabemos que a pessoa deprimida é bem mais suscetível a doenças. O abraço diminui a depressão e revigora o sistema imunológico da pessoa. O abraço injeta nova vida nos corpos cansados e fatigados e a pessoa abraçada se sente muito mais jovem e vibrante. O abraço aumenta significativamente a hemoglobina na pessoa tocada. Para lembrar, hemoglobina é aquela parte do sangue que transporta o oxigênio para os órgãos mais vitais do nosso corpo, inclusive o cérebro e o coração. 


O uso regular do abraço, por isso tudo, prolonga a vida, sara a depressão e estimula a vontade de viver, crescer e progredir.


Sabe quantos abraços você precisa dar por dia?


4     para sobreviver;
8     para manter-se vivo;
12   para prosperar.


E o mais bonito, é que este remédio não tem contra-indicações e não há maneira de dá-lo sem recebê-lo de volta!





Interessante, não é? Um gesto simples que, embora não pareça – a uma primeira vista – pode se revelar uma grande cura para problemas que muitas vezes parecem tão complexos. Nos dias de hoje, nessa pressa tão equivocada em que estamos todos invariavelmente mergulhados, mal há tempo de nos cumprimentarmos direto, muito menos com um abraço. Quantas pessoas abraçamos por dia? Ou quanto custa pararmos um pouco o que estamos fazendo (ou o que pretendemos fazer) para tirar uns instantes para um abraço naquela pessoa querida? Mas é preciso estarmos dispostos mesmo a abraçar, a receber o outro, a estabelecer este contato, de maneira natural!



Comumente, os cumprimentos e saudações mais comuns são o aperto de mão ou beijos rituais, e o abraço fica restrito mais a ocasiões festivas, despedidas ou tragédias e catástrofes. Mas a emoção de um abraço acaba tendo também uma qualidade terapêutica diferente, especial, única.

Existem dezenas de teorias, estudos e livros publicados sobre o assunto. O abraço é realmente milagroso, gente! O contato físico nos deixa mais tranquilos, nos apazigua, nos transforma. Em casa, um abraço todos os dias ajuda a reforçar os relacionamentos e reduzir consideravelmente as brigas e atritos.



Seria muita pretensão dizer que o abraço pode ser uma salvação para a humanidade? Não sei, mas com certeza é preciso que tenhamos mais consciência de sua importância, e que passemos a abraçar mais, não é? 

Claro que temos maior afinidade em abraçar pessoas conhecidas, em que nutrimos qualquer tipo de afeto, a pessoas estranhas, e é justamente aí, segundo algumas pesquisas que fiz, que cada um descobre sua evolução afetiva, seu processo de humanização, através de sua capacidade de abraçar.

Pensem a respeito, de como nos sentimos bem após um singelo abraço, e quando acabarem de ler isto, saiam um pouco do computador e abracem a pessoa mais próxima, um familiar ou um amigo.

Um abraço a todos!

2 comentários: