Frases


"Todos temos coisas na vida que valem a pena ser contadas, escritas. Mesmo que não para publicar, escreva-as para a família."Ilko Minev



sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Anima Mundi 2010 (IV - Casa França-Brasil)


Dando sequência às postagens sobre o Anima Mundi 2010, é hora de comentar um pouco sobre um outro local muito bacana onde ocorriam atividades do evento; a Casa França-Brasil.

A imponente construção ficava bem ao lado do CCBB e da Praça Animada, e também era um dos palcos principais de toda a movimentação do Anima Mundi. Lá havia um bom espaço para a realização das demais oficinas, com técnicas como areia e direto na película, gratuitas a todos que enfrentassem as filas.





- O prédio é mais uma arquitetura histórica da cidade, sendo por si só uma ótima atração.


- Movimento bastante intenso, e olha que ainda eram os primeiros dias do festival!


Talvez o maior destaque da Casa França-Brasil tenha sido a lojinha do Anima Mundi. Como já falei em outras postagens, lá era vendido um sortimento bem variado de artigos relacionados ao festival. Foi lá que acabamos gastando boa parte do dinheiro que tínhamos! Mas pelo menos garantimos camisas, DVDs, flipbooks, cadernetas e outras bigigangas (risos).

Era constante e crescente o número de pessoas que se aglomeravam em volta da lojinha, lutando para comprar os materiais. Também, o festival usava uma boa estratégia para "chamar" o público; a maior parte das sessão de curtas que aconteciam na Praça Animada, quando terminadas, davam como única saída às pessoas a passarela que conduzia exatamente para a Casa França-Brasil, bem em frente à lojinha. Ou seja, mal se saía do cinema, já se deparava com todo o material disponível para compra, e geralmente muitas pessoas já paravam por lá, impulsionadas pela magia do evento. Foi realmente uma boa estratégia.




- A lojinha do Anima Mundi 2010, um dos pontos mais concorridos do festival, durante todos os dias.


O prédio era bem iluminado, as oficinas distribuídas lateralmente, alguns estandes de patrocinadores também bem localizados, um luxuoso restaurante, e a lojinha completava a estrutura no centro. Havia ainda uma outra saída, oposta à entrada, que dava para um outro pátio, a céu aberto, onde tinha algumas mesas (uma extensão do restaurante lá de dentro) e provavelmente servia também para exposições. O piso interno do prédio acabou sendo um dos pequenos problemas, pois por ser de uma arquitetura histórica, tinha vários desníveis, alguns bastante abruptos, o que quase nos levou a algumas quedas!

Havia alguns LCDs que, como no CCBB, transmitiam em tempo real o que o pessoal produzia nas oficinas. Uma projeção um pouco acima da entrada mostrava alguns dos trabalhos feitos no ano passado, todos muito bacanas, principalmente os com areia, que já a técnica tem uma cara naturalmente profissional.





- Acima, um pouco das oficinas que eram realizadas na Casa França-Brasil. Muitas crianças enchiam constantemente as filas. Os monitores do festival explicam pacientemente os processos. As projeções exibiam as produções do ano passado, enquanto os LCDs, os trabalhos deste ano, em tempo real ao seu desenvolvimento!

- Essas duas luminárias me fizeram lembrar do Luxo Jr, da Pixar! Mas elas aqui não iriam empurrar nenhuma bolinha, apenas iluminar as inúmeras folhas de desenhos a serem animados!

Abaixo, mais algumas imagens, em diferentes horas do dia, em diferentes dias do festival:

















Esses tetos em abóbada são realmente incríveis! E as "Havaianas" do Anima Mundi? Também fizeram sucesso! Mas claro que as camisas eram o que mais se vendia. Muito legal mesmo era assistir a esses curtas feitos pelos participantes das oficinas, tanto os de 2009 como os desse ano, que passavam a todo o instante em todo o espaço. Não pude descansar a câmera quase em nenhum momento, para conseguir registrar um pouco de tudo.

Bom, essa foi uma pequena amostra do que aconteceu lá na Casa França-Brasil, no Anima Mundi 2010. Foi uma rotina bastante intensa, rodar entre o CCBB, a Casa França-Brasil, a Praça Animada e o CCC diariamente, desde cedo à noite, como já falei por aqui em textos anteriores, mas tudo valeu muito a pena, foi uma experiência e tanto ter podido acompanhar esse Anima Mundi direto lá do Rio de Janeiro :)

O festival ainda continua aqui no Diálogos, e na próxima postagem desta série vou falar da sessão Galeria, onde passou o curta de meu irmão Diego!

Veja a parte V dessa série (Galeria Animada) clicando aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário